LIDÃO

Notícias que você viu e que você nunca viu

Em 3X4 Oswaldo Montenegro revela o melhor de sua carreira e de sua alma

Oswaldo_Montenegro

Talvez não exista no mundo profissão de maior exposição, que revele o interior, a essência de alguém do que a Arte. E Arte para ser escrita assim, com A maiúsculo, deve, além de expressar o sentimento ou uma ideia, acrescentar o conhecimento e algo de bom às pessoas. O show 3X4, de Oswaldo Montenegro, em cartaz em várias cidades do Brasil e com DVD pronto em breve nas lojas, vem em sintonia com essa verdade. Como o próprio nome sugere, lembrando um dos principais símbolos da representação de uma pessoa, a fotografia da Identidade, o evento desnuda as várias faces do multiartista, abrindo-nos a porta do seu íntimo. O produto final é bastante generoso. Traz as diversas influências da sua carreira, seus melhores sucessos, os grandes artistas que o acompanham, o lirismo e a sinceridade do compositor de “Metade”, “Lua e Flor” e “Bandolins”.

Canção pela qual Oswaldo Montenegro ficou conhecido pelo grande público, estourando no festival da antiga TV Tupi, alcançando o 3º lugar, “Bandolins” também inspirou o nome da turnê, por ser formada pelo compasso 3 por 4. O show, que estreou em Natal – RN, em março deste ano, é composto de quatro blocos, com três músicos se juntando ao também músico e cantor. Unindo o bouzouki e o bandolim de Sérgio Chiavazolli, o violão de Oswaldo e o “violão-blues” de Alexandre Meu Rei, ganha a magnitude de um concerto, com a magia da flauta de Madalena Salles. Começa no mesmo ritmo desse poeta, amante da festa e da diversão, que aos 13 anos já havia vencido seu primeiro festival. Ou seja, o grupo já pisa no palco eletrizando, com músicas alegres e agitadas, como “Cigana”, “Pra Longe do Paranoá” e a nova “Pro Renato Teixeira”, misturadas a trechos de Villa Lobos, Bach, Vivaldi e outros clássicos.

Após contagiar a plateia com sua animação, o show vai se tornando cada vez mais intimista. No Recife, Oswaldo estimulou o público a fazer perguntas sobre sua história e a pedir músicas. Atendeu todos. Uma das indagações foi como surgiu “Metade”. “Eu, pela primeira vez, em 1974, fui embora de Brasília para o Rio de Janeiro tentar a vida e lá eu fiquei muito só, tive muito medo. Deu vontade de rezar e, como eu não tenho religião, eu escrevi ‘Metade’, para que eu pudesse rezar”, explicou. Outra foi sobre o significado do trecho “Que o teu silêncio me fale cada vez mais”, do mesmo poema. “Essa parte foi porque Madá (Madalena Salles, sua antiga paixão, hoje grande amiga) era muito tímida e, na época, falava quase que exclusivamente pela flauta dela”, respondeu, permitindo a todos o deleite de conhecê-lo um pouco melhor. Nesse diálogo, pede gentilmente licença para apresentar músicas novas.

A ANTÍTESE DE OSWALDO – Uma das boas coisas que a poesia de Oswaldo traz, além de aliviar a alma e de tocar o coração, é algo meio contrário a isso, tão antagônico como o artista, de alma sensível e ao mesmo tempo guerreira: a inquietação. Num momento em que o mundo anda descrente, cada vez menos pessoas mantêm a moral cristã, como previu Nietzsche, propõe uma reflexão sobre Deus. Mostra um dos temas do mais recente filme dirigido por ele, “Solidões”, lançado em 2013. Mantendo a antítese tão presente na obra desse menestrel, “A Lógica da Criação” vem na mesma linha que “A Lista”, derrubando nossas certezas, tirando-nos o conforto, e deixa-nos apenas a fé como consolo.

GRANDES SUCESSOS – Segundo Oswaldo Montenegro, no “3X4”, o maior objetivo era homenagear quem contribuiu para a sua formação musical. “Eu comecei a tocar, porque fui morar em Minas Gerais, na infância. Meus pais se reuniam todo fim de semana com vários boêmios. Eles tocavam embaixo de umas casas. Esse pessoal geralmente nos servia pão de queijo, café, carinho. Passei a associar música com afeto. Um dia, acordei com o som de um clarinetista. Ele estava no meio da neblina, sozinho, tocando pra ninguém. Ali, olhando aquele músico, eu decidi o que eu ia fazer para o resto da minha vida”. Com essas palavras e um desfile das suas mais lindas canções, iniciado com um belo instrumental de Madalena Salles, outro bloco se concretiza, deixando a plateia em êxtase. No repertório, peças do quilate de “Velhos Amigos”; “Agonia”, 1º lugar do festival Globo MPB 80; os temas de novela “Lua e Flor” e “Quando A gente Ama”; “Aquela Coisa Toda”; e muitas outras.

DESABAFO – Vale um parêntese aqui para a nova “Me Ensina a Escrever”, que aos desatentos pode aparentar ser apenas mais uma letra romântica. Mas na verdade pode ser um grande desabafo. Para quem escreve, a “folha em branco” representa um dos maiores transtornos. Às vezes, ocorre por ausência de ideias ou da clareza delas. Outras, pelo excesso de mensagens a serem passadas e pela dúvida de como colocá-las no papel. Há também a incerteza se devemos expressá-las. Ou ainda a dificuldade de encontrar palavras que possam transmitir com fidelidade as nossas emoções.

A IRREVERÊNCIA – Depois de apresentar o seu lado mais doce, com um misto de sentimentos, como amor, angústia, solidão, alegria, ele ainda oferece mais uma surpresa. O último bloco ganha ares de teatro, uma das escolas de Oswaldo, cria um clima divertido e bem-humorado e exprime essa outra face do artista, embalado no ritmo do “blues”. Com toda humildade, deixa o seu recado de que não tem rédeas, gosta muito de viver e de experimentar o diferente. Uma das dicas está em “Eu Quero Ser Feliz Agora”. “Se alguém disser pra você não cantar/Deixar teu sonho ali pr’uma outra hora/Que a segurança exige medo/Que quem tem medo Deus adora/Se alguém disser pra você não dançar/Que nessa festa você tá de fora/Que você volte pro rebanho/Não acredite, grite sem demora/Eu quero ser feliz agora”.

Esta reportagem acompanhou o show 3X4, no Recife, dia 23 de agosto 2014

Oswaldo_Montenegro

Serviço:

Show 3X4

Oswaldo Montenegro (voz e violão) com os músicos:
Sérgio Chiavazolli – bouzouki e bandolim
Alexandre Meu Rei – “violão-blues”
Madalena Salles – flauta

 

Agenda de Oswaldo

OUTUBRO
04/10/2014 – SÃO PAULO/SP – HSBC (Show “3×4″)
09/10/2014 – BELO HORIZONTE/BH – Cine Theatro Brasil Vallourec (Show “3×4″)
10/10/2014 – FLORIANÓPOLIS/SC – Teatro Pedro Ivo (Show “3×4″)
11/10/2014 – CURITIBA/PR – Teatro Marista (Show “3×4″)
24/10/2014 – TIMÓTEO/MG – Centro Cultural APERAM (Show “Canção Nua”)
31/10/2014 – RIO GRANDE/RS – FURG (Show “3×4″)

NOVEMBRO
01/11/2014 – JUNDIAÍ/SP – Teatro Polytheama (Show “Canção Nua”)
04/11/2014 – NOVA IGUAÇU/RJ – SESC (Show “Canção Nua”)
13/11/2014 – PORTO SEGURO/BA – Centro de Cultura (Show “Canção Nua”)
27/11/2014 – JUAZEIRO/BA – Centro de Cultura (Show “Canção Nua”)
29/11/2014 – CRATO/CE – Xoperia (Show “Canção Nua”)

DEZEMBRO
04/12/2014 – FRANCA/SP – Espaço Cedro (Show “Canção Nua” – Horário: 22:00)
06/12/2014 – IGUATU/CE – AABB (Show “Canção Nua”)

 

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*